International Congress 2018

  • Assistência De Enfermagem A Idoso Vítima De Fratura De Fêmur: Um Relato De Experiência

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) define pessoa idosa como aquela de 60 anos de idade ou mais. Segundo a OMS houve um aumento considerável da população com mais de 60 anos de idade nas últimas décadas e de acordo com suas projeções esta é uma tendência que continuará durante os próximos anos, acredita-se que no ano de 2025 haja mais de 800 milhões de pessoas com idade superior a 65 anos em todo mundo. Dados da Organização das Nações Unidas direcionam que no ano de 2025 haverá 1100 bilhões de idosos e que no ano de 2050 em todo o mundo o número de idosos superará o número de crianças e adolescentes1. Este fenômeno do envelhecimento ocorreu juntamente com o processo de transição epidemiológica, por volta da segunda metade do século XX, no qual o conjunto de causas de morte formado por doenças infecciosas, respiratórias e parasitárias começou a perder importância frente a outras doenças relacionadas como a degeneração do organismo por meio do envelhecimento e por causas externas2. A diminuição da mortalidade por doenças infecto contagiosas e, consequentemente, o aumento da expectativa de vida dos brasileiros, deve-se ao aumento da renda, da escolaridade e da proporção de domicílios com saneamento adequado, além de programas de transferência de renda3. Na sociedade moderna a pirâmide populacional também é típica de uma população envelhecida, com a redução da participação relativa de crianças/jovens e o aumento proporcional de adultos e idosos4. Entretanto, este crescimento demográfico da população idosa se deu de forma acelerada, acarretando importantes implicações para os indivíduos, famílias e sociedade sendo a principal preocupação a associação entre envelhecimento e dependência2.

  • Diagnóstico E Tratamento De Pacientes Com Neuralgia Trigeminal

    A neuralgia trigemimal é uma patologia relacionada ao quinto par de nervos cranianos, o nervo trigêmeo, o qual é considerado o grande nervo sensitivo da cabeça e nervo motor dos músculos da mastigação, dividindo-se em três ramos: oftálmico, maxilar e mandibular. O ramo oftálmico acomete a região do seio frontal e o dorso do nariz; o ramo maxilar sensibiliza as regiões do seio maxilar, a asa do nariz e a pele do osso maxilar; e por sua vez, o ramo mandibular afeta as regiões do lábio inferior e mandibular, podendo apresentar nesses pontos dores relacionadas à patologia. Os paroxismos intermitentes podem ser desencadeados por leves toques em áreas específicas da região orofacial, denominados zona de gatilho – que podem ser na pele, na mucosa ou mesmo em um dente. Normalmente é uma dor que está limitada ao território de distribuição do nervo trigêmeo. A neuralgia trigeminal é uma doença crônica de etiologia ainda não muito conhecida, que pode ser ocasionada por diferentes motivos, entre eles estão a compressão dos ramos do nervo por algum vaso sanguíneo, esmagamento ou fraturas de ossos da face que comprimem o nervo ou seus ramos, fatores emocionais e neoplasias. Não se sabe exatamente o motivo do surgimento desta patologia nas diversas incidências da mesma, pois apesar de identificar o agente causador não se sabe por quê o mesmo agiu, tornando este um caso de relevância para análise de casos clínicos como forma de obter uma aproximação do que ocorre primariamente para esse surgimento patológico. Segundo a International Headache Society – IHS, a Neuralgia Trigeminal é classificada em Clássica e Sintomática. A diferença básica entre as duas se dá a partir de que, quando não há nenhum fator patológico a não ser a compressão vascular a Neuralgia Trigeminal é definida como clássica. A Sintomática é desencadeada…

  • Análise Da Qualidade De Vida Em Portadores De Artrose De Joelho

    A artrose é uma doença reumática que afeta principalmente indivíduos com idade superior a 60 anos, sendo mais comum no sexo feminino após os 50 anos. Caracteriza-se por ser uma doença inflamatória degenerativa que afeta as articulações sinoviais1,2,3. “As várias formas de manifestação da artrose foram classificadas em primária e secundária, sendo a primária caracterizada por ter causa desconhecida e a secundária que acontece quando é desencadeada por fatores conhecidos e determinados”4. Embora sua etiologia seja muito ampla, o joelho se destaca como a articulação mais acometida pela artrose, por sustentar cargas excessivas5. A cartilagem de um joelho saudável é hiperhidratada (conteúdo de água variando de 66 a 80%), com 20-34% de sólidos dos quais, 5-6% são componentes inorgânicos (principalmente hidroxiapatita) e do restante orgânico, 48-62% é formado por colágeno tipo II e 22-38% por proteoglicanas”6. Em um joelho afetado pela artrose ele perde toda essa igualdade de distribuição dos elementos que o compõem, iniciando assim um processo inflamatório pelo fato de haver uma desorganização na cartilagem articular, ocorrendo redução de proteoglicanos e diminuição na produção de colágeno tipo II, levando a uma lesão cartilaginosa7. Com a perca da cartilagem, há ativação osteoblástica, que determina a formação de osteófitos, estes que vão fazer com que a cartilagem fique com aspecto opaco e amarelo e com isso perca sua elasticidade, gerando fortes dores principalmente na articulação patelofemoral ao subir escadas, momento em que estas duas estruturas se tocam7,8. Essa série de eventos de desgaste da articulação leva a paciente a um quadro clínico de fortes dores, rigidez, edemas, crepitação e diminuição progressiva da função em todos os grupos musculares dessa articulação, fazendo assim que o indivíduo tenha uma diminuição na sua qualidade de vida pelo fato da dor causar um estresse físico e psicológico que desencadeiam inúmeras repercussões nas suas atividades…

  • Relato De Experiência: Acompanhamento Psicológico Em Cirurgia De Troca Valvar Cardíaca

    A possibilidade de uma cirurgia não é uma notícia agradável para qualquer pessoa. E quando envolve um órgão que apresenta uma representação particular como o coração, a situação é experienciada por um viés emotivo e de questionamentos sobre a finitude, já que o coração é considerado a sede das emoções e o símbolo da vida. Este órgão é responsável pelo bombeamento do sangue para todos os tecidos do organismo, sendo formado por quatro câmaras, dois ventrículos (inferiores) e dois átrios (superiores), tem quatro valvas que controlam o fluxo sanguíneo, permitindo que o sangue siga um sentido único1, 2. As valvas são importantes para um funcionamento pleno do organismo. Quando apresentam problemas, o paciente aos poucos pode perceber alguns sinais, tais como: dor no peito, cansaço, falta de ar e até perda de consciência. Estes problemas podem ser em decorrência de: a) estenose, que se refere ao estreitamento da valva, devido à calcificação por envelhecimento, ou doenças infecciosas, ou doenças congênitas, interferindo no fluxo sanguíneo; b) regurgitação (insuficiência), que se refere a um vazamento, acarretando um fluxo sanguíneo em sentido contrário, podendo surgir também devido a uma doença infecciosa, como exemplo de uma endocardite bacteriana. Estas duas problemáticas são as mais frequentes e pode suscitar a necessidade de correção cirúrgica, dependendo do grau de comprometimento, o que vai ser analisado pelo especialista1, 2,3. A doença das valvas do coração é um problema bastante frequente em cardiologia, podendo ter diversas causas: ser uma doença de origem congênita ou adquirida a partir, por exemplo, de uma febre reumática na infância. Em ambos os casos, geralmente os sintomas podem não se manifestar por um longo tempo, de forma que o indivíduo se ajusta aos desconfortos físicos sentidos, sem nem perceber tal comprometimento. Mas, quando estes desconfortos se tornam restritivos, o paciente procura o médico…

  • Caracterização Sócio Demográfica, Clínica, Terapêutica E Qualidade De Vida De Usuários Com Diabetes Mellitus

    A anatomia humana é uma das bases do ensino das ciências da saúde, definida como o estudo da constituição e desenvolvimento do ser humano no nível macroscópico e microscópico1. No Brasil, o ensino da anatomia humana nas universidades sofre muitas defasagens pela dificuldade de aquisição de peças anatômicas, o que resulta na criação de modelos anatômicos artesanais para sanar a falta de material acadêmico². Os modelos anatômicos são representações simplificadas de sistemas orgânicos, auxiliando o aluno no processo de aprendizagem e permitindo que consigam desenvolver as competências necessárias para a formação profissional³. Porém, a validação desses modelos segue padrões particulares para cada universidade. Sendo assim, de que forma é possível garantir uma eficácia para todos os modelos que são produzidos no Brasil, já que estes modelos aplicam seus próprios métodos de validação? A forma mais viável é através da validação, já que ela tem como meta assegurar a qualidade final de um produto4. Ele visa auxiliar o professor e os monitores a supervisionarem a evolução do ensino pelos alunos dos diferentes cursos e, portanto, os professores devem aplicar o protocolo ao longo do semestre para diferentes sistemas humanos. Desta forma, o objetivo deste trabalho é a elaboração de um protocolo que permita a validação de modelos anatômicos de baixo custo, verificando a eficiência educacional dos modelos produzidos

  • A Invisibilidade Do Princípio Da Integralidade Na Política Nacional De Atenção Integral À Saúde Do Homem

    A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem tem como objetivo facilitar e ampliar o acesso com qualidade da população masculina às ações e aos serviços de assistência integral à saúde no Sistema Único de Saúde. O presente estudo tem por objetivo analisar os aspectos que levam à não integralidade da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Para sua realização, a pesquisa foi dividida em dois momentos. O primeiro de leitura dos documentos oficiais do Ministério da Saúde acerca da política e o segundo de consulta à artigos científicos sobre a mesma. Observou-se que a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem não foi efetivada na prática assistencial e que, seus princípios e diretrizes são empregados de forma pontual.

  • Acupuntura Como Método Complementar Nas Reabilitações Fonoaudiológicas: Revisão Sistematica

    A Acupuntura é uma tecnologia de intervenção em saúde que aborda de modo integral e dinâmico o processo saúde-doença no ser humano, podendo ser usada isolada ou de forma integrada com outros recursos terapêuticos. Originária da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a Acupuntura compreende um conjunto de procedimentos que permitem o estímulo preciso de locais anatômicos definidos por meio da inserção de agulhas filiformes metálicas para promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como para prevenção de agravos e doenças¹. No Brasil, a Acupuntura foi introduzida há cerca de 40 anos. Em 1988, por meio da Resolução Nº 5/88, da Comissão Interministerial de Planejamento e Coordenação (Ciplan), teve as suas normas fixadas no atendimento nos serviços públicos de saúde. Vários conselhos de profissões da saúde regulamentadas reconhecem a Acupuntura como especialidade em nosso país, e os cursos de formação encontram-se disponíveis em diversas Unidades Federais¹. Observa-se que há uma forte tendência de manutenção do crescimento das consultas em acupuntura, o que vem contribuindo para o crescimento dos atendimentos em acupuntura no país é a existência de profissionais acupunturistas não-médicos². Segundo a resolução nº272/2001 do Conselho Federal de Fonoaudiologia, a acupuntura, quando corretamente utilizada, é considerada mais uma técnica terapêutica complementar a ser utilizada pelo fonoaudiólogo em sua prática clínica. Poderá utilizar em sua pratica desde que apresente ao Conselho Federal de Fonoaudiologia: Título, diploma ou certificado de conclusão de curso específico patrocinado por entidade de Acupuntura, de reconhecida idoneidade científica e educacional3. Desta forma a prática milenar chinesa pode ser aplicada como complemento às terapias fonoaudiológicas. Quando utilizada adequadamente a combinação dessas duas atividades contribui com os resultados da intervenção fonoaudiológica podendo ser

  • Avanços No Tratamento E Atualizações Epidemiológica Da Malária No Amazonas

    Introdução: A malária é uma importante causa de morbidade e mortalidade nas regiões tropicais do mundo, é uma doença infecciosa transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, causada por parasitas do gênero Plasmodium. No Brasil, cerca de 99% dos casos são notificados na região Amazônica, tendo em vista que apresenta condições climáticas e socioeconômicas favoráveis a disseminação da doença. Por conta desse quadro, foi criado em 2003 o Programa Nacional de Controle da Malária (PNCM), numa tentativa de reduzir o número de casos. Objetivos: Descrever o avanço epidemiológico da malária na Amazônia e os desafios de sua erradicação. Metodologia: Foi realizado um estudo documental, retrospectivo, na base de dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Foram analisados dados referentes a notificações de malária na região amazônica do ano de 2003 a 2016. Resultados: Em 2003, na região amazônica foram registrados 408.715 casos de malária, que teve seu maior número no ano de 2005, com mais de 600.000 casos registrados durante o ano. Contudo, nos anos seguintes ocorreu uma queda vertiginosa, chegando em 2016 a 129.537 caso notificados, demonstrando que o PNCM obteve resultados favoráveis, através de táticas com o enfoque no diagnóstico precoce e tratamento de casos clínicos para reduzir a transmissão e morbidade. Porém, o número de casos ainda é expressivo, por conta das dificuldades impostas pelo próprio território propicio a procriação do mosquito, destruição de habitats e dificuldades no diagnóstico de pacientes assintomáticos ou com sintomas inespecíficos da doença. Conclusão: Embora tenha ocorrido redução no número de casos, é necessário um investimento maior em exames e campanhas de educação em saúde no intuito de incentivar a prevenção e o tratamento precoce através da procura pelos postos de saúde ao menor sinal clínico da referida enfermidade.

  • Diâmetro Dos Vasos Placentários E A Suplementação Sanguínea Fetal Identificada Em Placentas De Recém

    A placenta é um órgão humano pouco estudado e um dos mais importantes para a saúde da mulher e seu feto durante a gravidez. Ao longo do desenvolvimento fetal, a placenta funciona como um agente único da simbiose humana, sistema fetal renal, respiratório, hepático, gastrointestinal, endócrino e imune11. Sabido da relação da placenta com a saúde da mulher e do seu feto, o estudo do fenótipo da placenta abre caminho para a identificação da causa da morte fetal. A histologia placentária é uma investigação frequentemente empregada que pode fornecer informações importantes para clínicos e pais sobre os motivos da morte de seus filhos12. O avanço da gravidez depende do estabelecimento e da manutenção de um sistema vascular uteroplacentário eficiente. Durante a gestação, como em qualquer outro processo imunoinflamatório, este sistema inicia e modula uma interação harmônica entre o endotélio vascular materno, as células imunocompetentes presentes localmente e os determinantes antigênicos presentes na superfície do trofoblasto, ativamente regulando o processo de adesão, ativação e migração celular, via modificações na rede de citocinas locais4. A comunicação dos capilares endometriais erodidos com as lacunas do sinciciotrofoblasto estabelece esta circulação do tipo primitiva, no qual o sangue materno flui para nutrir o embrião. Este sistema vascular eficiente, supre com oxigênio e nutrientes de forma adequada ao produto conceptual4. No estabelecimento da placentação, o trofoblasto se infiltra pela parede endometrial, até alcançar as artérias espirais uterinas, com o citotrofoblasto recobrindo e transformando em vasos de baixa resistência1,4. A placentação permite que a artéria uterina se expanda com a progressão da gestação, evitando a restrição de fluxo sanguíneo à unidade feto-placentária2,4.